abril 24

Não tenha vergonha de perguntar

Boa noite, pessoal!

Dando continuidade à cobertura da implementação do novo projeto, recebi, hoje à tarde, resposta da BRA ao e-mail enviado ontem. Segue a parte relevante da mensagem:

“O desenvolvedor pediu para utilizar WDO$D e OLHC e o mais importante, desabilitar o modo visual do backtest. Daí você poderá fazer por conta própria seus backtests.”

Fiquei com a impressão de ter feito exatamente isso, mas como não tinha certeza absoluta, refiz o backtest do robô AlgoTrading 1645 WDO, seguindo as instruções. Infelizmente, me deparei com o mesmo problema, obtendo um resultado muito diferente do publicado na página do fornecedor. Como exemplo, na minha simulação o robô executou aproximadamente metade do número de operações divulgado no backtest oficial.

Em seguida, no intuito de identificar onde poderia estar o problema, decidi tentar reproduzir o backtest de outro robô. O escolhido foi o AlgoTrading 1649 WDO e foram utilizadas a mesma série (WDO$D) e a opção OHLC. Para minha surpresa, o backtest bateu 100% com o backtest oficial.

Repeti, então, o processo com um terceiro robô, utilizando dessa vez o AlgoTrading 988 WDO. Apesar de não ter obtido resultados idênticos à simulação original, as diferenças estão dentro de um limite aceitável, apresentando nos itens principais uma diferença em torno de 10%. Esse tipo de imprecisão pode ocorrer por ajustes na série histórica de preços, pequenas alterações devido a atualizações do Metatrader, etc. Se for possível ver uma semelhança grande, por exemplo, no comportamento dos gráficos de resultado acumulado, pequenas diferenças podem ser relevadas.

A partir dos dados apresentados acima, é possível inferir que provavelmente o problema não está na minha estrutura. Caso fosse algum problema na série histórica que estou utilizando, na minha versão do Metatrader ou qualquer outro componente específico do meu ambiente de simulação, os backtests dos robôs 988 e 1649 também apresentariam discrepâncias significativas.

Assim, enviei novamente um e-mail para a BRA, apresentando os dados obtidos. Levantei, também, a possibilidade da versão do software disponibilizado para download gratuito estar desatualizada, ou que alguma informação publicada esteja imprecisa. Para aqueles que se interessarem, no final do post estão os resultados das minhas simulações dos robôs 988, 1645 e 1649, citadas no texto.

Vocês estão podendo acompanhar o que normalmente acontece quando analiso um novo robô. Somos investidores, clientes, não especialistas em programação ou desenvolvimento de robôs. Não temos obrigação de saber o detalhe de muitas coisas. Caso não entenda ou não consiga interpretar alguma coisa, faça como eu, pergunte. Pergunte sempre!

Não podemos ter nenhuma incerteza sobre as informações apresentadas. Dúvidas não solucionadas, quando potencializadas por momentos de pressão, podem minar a convicção que temos no investimento. Convicção esta que é fundamental para seguir o plano operacional, suportar e vencer os momentos difíceis pelos quais todo robô, certamente, passará!

1645-Backtest

1649-Backtest

988-Backtest